As Belezas do Líbano

Sim maluco, eu viajei para o Líbano, um pequeno país do Oriente Médio. Sempre achei que jamais conseguiria ir para um país dessa região até que uma oportunidade bateu na porta e praticamente se ofereceu pra mim, sem dúvida alguma abracei.

Pra você entender um pouquinho mais do que porque de eu ter ido pra lá, fui fazer realizar um trabalho voluntário, 20 dias no Líbano. Em alguns dias fomos conhecer um pouco mais do país, suas paisagens e seu contexto histórico.

Aaah, só pra deixar claro pra você, esse post fale sobre o tuor de alguns dias pelo o Líbano, o trabalho voluntário vou deixar pra uma próxima, tenho bastante foto também mas ainda não é o momento. Se quiser saber como foi, tirar alguma dúvida pode mandar lá no dm do insta, @denissonddb

VIAGEM

Pra você que não me conhece, moro em Curitiba e daqui meia-noite e fomos de ônibus até o Aeroporto Internacional de Guarulhos, chegamos as 6h da manhã e o nosso vôo era a tarde. Saímos do Brasil e fizemos uma conexão de algumas várias horas em Londres, onde o outro vôo só saia a também. Chegamos em Beirute de madrugada, em resumo, uns 3 dias de viagem.

BEIRUTE

É a capital libanesa, é uma cidade com a mistura do antigo com o novo, da história antiga com a digital, para um país e uma cidade que passou por alguns confrontos em poucos anos se reergueu rapidamente e traz o senso de moderno, novo mas que ao mesmo tempo desejam relembrar suas raízes.

Essa quem sabe é o símbolo mais importante do Líbano, pois remete a um passado recente do país. Está em uma praça no centro da capital Beirute, e hoje ela carrega as marcas da Guerra Civil e pelas guerras e confrontos com Israel.

Até mesmo na capital podemos encontrar uma beleza natural, famosa pelas competições de mergulho, Pigeons Rocks ou Rocha dos Pombos nos mostra o quão é belo a natureza desse país.


Pigeons Rocks

Nejmeh Square, o centro da nova Beirute. Essa torre do relógio foi um presente do Michel Abed, emigrante libanês-brasileiro, durante a guerra ela foi desmontada e depois montada novamente. Hoje recebe um dos relógios mais famosos do mundo, Rolex. Ao redor dele é cheio de cafés, bares e restaurantes. É um dos pontos de saída pra conhecer a capital por ser próximo e o centro dos principais pontos da cidade. Nessa praça também foi onde o ex-primeiro ministro libanês Rafic Hariri tomou seu último café antes do seu carro explodir ali por perto por um atentado terrorista

Mesquita de Hariri, conhecida assim porque o ex-primeiro-ministro doou o terreno pra construção e hoje é considerada a maior do Líbano. Ao chegar perto você já acha ela linda mas o interior é mais bonito e deslumbrante, contém um lustre todo de cristais com o peso de 6 toneladas.

REGIÃO CENTRAL

Artista fazendo arte em areia – Gruta de Jeita

Em um outro dia fomos para perto da capital e visitamos a Gruta de Jeita, fica perto de Beirute mas que infelizmente a gente não consegue entrar com câmeras e nem celular. Essa você vai ter que procurar no tio google porque é linda demais, sério, é surreal! E deixo pra vocês essa arte manual que tem na saída da gruta. Em 5min ele faz aquelas artes com areia em vidro e escreve o que você quiser em árabe.

Conhecida como Harissa esse monumento retrata a Maria ou como chamam, “Nossa Senhora do Líbano”. É um dos pontos que unem pessoas de todas as religiões, para nós brasileiros podemos de certa forma comparar esse lugar ao Cristo Redentor do Rio, conseguimos vê-la de vários pontos da cidade pois fica no ponto mais alto e assim temos uma visão linda lá de cima, a costa libanesa. Dentro do mesmo complexo temos o santuário que na arquitetura traz o formato de um barco fenício, que era o povo que circulava por lá com as mercadorias. A parte de dentro falaram que é linda demais mas vai ficar pra uma próxima.

PRAIA

Aah, claro que visitamos uma praia do oriente, banhada pelo o Mediterrâneo, não podia faltar. As praias por lá são normalmente particulares, onde você tem que pagar para se ter acesso, as melhores praias. Existem poucas que são digamos “públicas”, que são nesse estilo, não existe areia, só pedras. O mar Mediterrâneo me pareceu mais salgado do que as nossas praias aqui mas para o calor de quase 40º é muito bom tomar um banho por lá. E claro, não podia faltar a nossa bandeira.

SUL DO LÍBANO

Outro lugar que fomos conhecer foi a região sul do país, visitar as cidades bíblicas de Sidon e Tiro.
Em Sidon conhecemos o Castelo do Mar (Sidon Sea Castle), que foi um dos pontos de escala para as cargas que cruzavam pelo o Mediterrâneo.
O mercado Khan al-Franj que foi construído para estimular um comércio com a França e ser um lugar único onde se vendia algodão e ceda e onde os comerciantes poderiam descansar também.
Visitamos uma “igreja” escondida no meio das vielas da cidade onde se acreditam ser o local do último encontro de Pedro e Paulo.

E na cidade de Tiro conhecemos as ruínas da antiga cidade de Tiro, as ruínas da entrada da antiga cidade, o portal da entrada, logo após o portal tem o cemitério e ao lado tem o hipódromo ou um antigo estádio.

Sidon Sea Castle
Vielas da cidade de Sidon
Mercado
Khan al-Franj
Vendas pelas ruas da cidade de Sidon
Sidon Sea Castle

Sidon Sea Castle

Sidon Sea Castle

Sidon Sea Castle

Sidon Sea Castle

Portal da antiga cidade de Tiro
Ruinas do estádio da antiga cidade de Tiro

CEDROS DO LÍBANO

Visitamos o Parque Cedars of God onde ficam os últimos “cedros-do-líbano”. Já que pela a história falam que Salomão foi “o responsável” por quase acabar com essa espécie de madeira. Eles usavam bastante esse tipo de madeira para construção, embarcações, prédios, templos. Os cedros ficam no alto de uma montanha e podem alcançar 35m de altura. Falam que os cedros tomavam praticamente o território do país.


Parque Cedars of God

BAALBEK

As ruínas de Baalbek é um dos maiores e mais bem preservados complexos de templos romanos do mundo, foi construído para mostrar o poder de Roma e adorar alguns deuses. Esses templos já atravessaram por vários domínios, guerras e terremotos. Na era antiga chegou a passar por 5 domínios em menos de 100 anos e passou por guerra cívil e confronto contra Israel. Construída com pedras passando até de 800 toneladas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *